Tagged: Beto Richa Toggle Comment Threads | Atalhos de teclado

  • Vinicius Massuchetto 02:15 on 1 April, 2012 Permalink |
    Tags: Beto Richa, , muy amigo   

    Briga Pelo Troféu “Muy Amigo da Bicicleta” 

    Na Bicicletada de Março em Curitiba o prefeito Luciano Ducci recebeu o troféu de “Muy Amigo da Bicicleta” devido ao esforço e dedicação com que ele tem conduzido as políticas públicas para bicicleta em Curitiba. Não contente, o atual governador e ex-prefeito Beto Richa achou injusto, e quis compartilhar o prêmio por também ter participado com excelente desempenho na jornada pelas bicicletas na cidade. Vai dar briga esse negócio, hein!?

    Anúncios
     
    • kelly 14:51 on 2 Abril, 2012 Permalink | Inicie a sessão para responder

      caraca…acho que estes ciclistas reclamam demais… não dá pra dar a mão que querem o braço… o curitibano tá acostumado com tudo de melhor, então nada mais satisfaz essa gente… menos povo de Curitiba… vão bicicletar em outras cidades do pais pra verem o que é bom… vão voltar mansinhos, mansinhos….

      • André 10:37 on 3 Abril, 2012 Permalink | Inicie a sessão para responder

        Que mão?????
        “CURITIBANO ACOSTUMADO COM TUDO DE MELHOR””
        “BICICLETEAR EM OUTRAS CIDADES DO BRASIL PRA VER O QUE É BOM””

        Com base nesses argumentos, dá pra perceber que quem escreveu isso ou náo mora em Curitiba, ou tem uma visão rasa da realidade da cidade ou, pior, é um mal intencionado.
        Quem mão que deram aos ciclistas?? Meia duzia de obras inacabadas ou com os incorrigíveis equívocos como a ciclofaixa da Toaldo Tulio>
        Curitibano acostumado com tudo de melhor???? Só se for na propaganda oficial, pois quem vive em Curitiba sabe que temos os mesmos grandes problemas e preocupações de todas outras grandes cidades do Brasil: assaltos, onibus lotados, congestionamentos, falta de estrutura nos postos de saúde, e por aí vai uma chusma de queixas…
        Bicicletear em outras cidades do Brasil pra ver o que é Bom???? Ahhhhh, mas cadê o discurso da capital ecológica agora??? Curitiba (na fala oficial) não se diz verde??? Então cadê???? Quer dizer que precisamos então nivelar por baixo pra daí encontrar alguma qualidade em nossa cidade? Tem que comparar com Sumpaulo então???? Cadê a Capital de Primeiro mundo, ecologicamente correta e com um povo “educado”???

    • adriano 23:33 on 2 Abril, 2012 Permalink | Inicie a sessão para responder

      O lance do trofeu foi massa, hehehe, mas de qualquer maneira, gostei a atitude deles terem vindo conversar, por mais que saibamos que é mais para fazer o “social”, afinal, as eleições estão por vir, mas pelo menos levaram numa boa.

  • Luis Patricio 15:07 on 15 December, 2008 Permalink |
    Tags: Beto Richa, car-oriented, , , cyclelane, environment   

    Bike advocates are fined for painting the first (and only) bikelane in Curitiba 

    Curitiba has received many titles:

    • Ecological City (Capital Ecológica)
    • Social City (Capital Social)
    • City for the People (Capital da Gente)

    Let’s see,  “Ecological City”!? Hmm… but all its rivers are polluted (see the article: Iguaçu, the second most polluted river in Brazil – in portuguese)

    Maybe “Social City”, but there is an evergrowing number of favelas.

    Nah, I think we should stick to “City for the people”. But in the last few decades, the municipalities are putting real money in new paved roads and underpasses for the cars  and recently the city fined a group of citizens for doing something good (by the way, something that should have been done a long time ago) Yeah, maybe we should look for another slogan for Curitiba…

    Let’s start from the beggining, during the activities of the World Carfree Day, back to september 22th, 2007.

    Tired of the insecurity and the lack of space for those who didn’t own a car and taking into account the indifference from the municipalities, a group of activists, supported by local residents at Alto da Glória neighborhood, decide to paint a cyclelane in one block.

    Before the act, the media and the authorities were informed through an open letter that was signed by many residents and businessmen in the area.

    So, at the end of a public, pacific and leaderless bike ride that occurs monthly in our city, the  “First Cyclelane of Curitiba” was painted by a group of approximately 50 people during daylight.

    At the end of this peaceful protest, with full support of  many local residents of  Augusto Stresser Street, a one-meter-wide cyclelane was painted on the right side of the street.

    The painting was made with a proper paint for asphalt, trying not only to inform about bike traffic and increase the safety for street users. But also to demonstrate to our leaders that it is possible in a a cheap, simple and – above all – legalized way to stimulate bike traffic in a safe way throughout the whole city. A few days later, the bikelane was “erased” by the municipalities (see this picture published in a local newspaper article) showing what is the real policy in Curitiba. They cannot create bikelanes but they can destroy. A few weeks later, the first Commuter’s Challenge was held in this same street and the bikelane was painted for the second time, once again with support of local residents and media coverage. This time it wasn’t erased but…

    After finishing the (first) painting, municipal officers showed up and in a very aggressive and arbitrary way took three participants to the police department to be charged with “environmental crime“. The officers’ conduct was very peculiar. During their approach they took off their identification as shown in the picture above. Recently the three “chosen ones” received a notification of R$750,00  each (approximately U$350).

    Obviously there must be a misunderstaning that we expect to be solved as soon as possible. By painting a bikelane, the citizens weren’t damaging public space but revitalizing it. Which is quite different from the attitude of our current mayor Beto Richa that was accused of illegal advertisement with public money and was sentenced to return R$600 thousand inappropriately taken from the city.

    It would be good also to clarify when all the promises made by the same politicians about sustainable mobility will take place in our city that still has the same infrastructure for bikes that was made decades ago and in the last few years only gained new paved roads for cars and underpasses.

     
  • goura 10:53 on 4 December, 2008 Permalink |
    Tags: , Beto Richa, , , , goura, ,   

    Prefeitura de Curitiba multa cicloativistas pela pintura da 1a Ciclofaixa da cidade 

    dsc00099

    No dia 22 de setembro de 2007 pintamos todos juntos a primeira, e por enquanto única, ciclofaixa da ‘capital ecológica’. A ação aconteceu como parte das celebrações do Dia Mundial Sem Carros. Como todos sabem a guarda municipal apareceu no final da festa, e, como é de praxe, agiu com truculência, arrogância e estupidez. Das 50 pessoas envolvidas diretamente com a pintura, 3 foram aleatoriamente escolhidas e escoltadas ao som de sirenes e derrapadas até a delegacia do meio ambiente. A acusação: crime ambiental – pixação.

    Pois bem, a ciclofaixa foi apagada algumas semanas depois, e repintada com esplendor e glória na realização do primeiro desafio intermodal (outubro de 2007).

    Isto é para todos estarem cientes de que a multa por pixação ainda esta valendo. Os 3 ciclistas que foram ‘enquadrados’ receberam esta semana uma notificação final com o veredito de culpa e com um prazo para pagar uma absurda multa de R$750.

    E é assim que funciona. Confronto com uma política ridícula que não contempla os cidadãos não-motorizados, que desconsidera as bicicletas, que reverencia e se curva perante o grande capital e as grandes montadoras.

    Queria pedir a ajuda de todos. Que escrevam para os jornais, para a prefeitura e façam uma manifestação de repúdio à esta multa e à falta de um trabalho verdadeiramente sério de mobilidade na cidade. Quem quiser pode ligar para o Fernando Rosembaum para se inteirar do que está rolando – 3082-7091.

    A foto acima mostra um dos inúmeros paraciclos espalhados pela cidade de Amsterdam. Coisas que a prefeitura de Curitiba fica esperando um nobre e consciente empresário realizar, ao invés de assumir a responsabilidade direta pela mobilidade de seus cidadãos que não querem entupir ainda mais as vias arteriais do trânsito da cidade.

    Hasta la victoria siempre!!

    Abraços,

    Goura

    http://www.artebicicletamobilidade.wordpress.com

    http://www.flickr.com/photos/gouranataraj/

     
    • divo 11:50 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Gostaria de manifestar meu repúdio a atitude da prefeitura de Curitiba, que usa a seu favor o marketing da cidade ecológica, mas que age na contramão do verdadeiro caminho que a levaria a tal status:

      Crime ambiental ? tenha dó !

      Se é crime pintar uma ciclofaixa como símbolo de uma campanha a favor da ciclomobilidade, que é a mobilidade limpa adequada para meios urbanos, o que seria então incentivar o uso do carro individual como meio de transporte, como faz essa prefeitura com seus binários e sucateamento do transporte público ? Com certeza só pode ser um estúpro ao meio ambiente e a inteligência daqueles que criticam esse modelo.

    • Pedro Hauck 11:53 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Olá amigos.

      Sobre este incidente, vc’s podem recorrer da ação, desde que tenham um amigo advogado que não cobre, pois senão será mais barato pagar a multa. Todos temos direito de protesto e apoio neste principio vc’s podem anular a multa.
      Mudando de assunto, sou editor do site sobre montanhismo: altamontanha.com. Apesar de parecer fora de contexto, estamos divulgando seu site e apoiando o bicicletada. Entre lá e vejam a matéria que fizemos hoje sobre o movimento.
      Abraço e bons ventos

    • Gunnar 12:18 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Cadê a multa para as pinturas verde e amarelas em ruas, calçadas e poste, que se repetem a cada 4 anos, no pão-e-circo da Copa do Mundo?

      Cadê a multa para as centenas de carros diariamente estacionados em calçadas e ciclovias, sobre a faixa de pedestres?

      Cadê a multa para a meia dúzia de motoristas que todo dia desrespeitam o CTB ao me ultrapassar?

      Cadê a multa para os outros 50 participantes? Os 3 enquadrados não estavam sozinhos e, definitivamente, NÃO ERAM OS LÍDERES.

      Goura, acho que cabe recurso, e também abrir um outro processo, dessa vez contra os policiais truculentos. Vocês têm 50 testemunhas prontas para relatar com detalhes a abordagem dos fardadinhos e listar as inúmeras infrações que cometeram.

      Lamentável, Curitiba, lamentável.

    • meandros 14:39 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Sem palavras.

    • divo 15:01 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Pedro,

      não é fora de contexto, pois cicloativistas também são montanhistas e muitos montanhistas que conheço também são cicloativistas.

    • Guilherme 15:49 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Curitiba está se superando como uma cidade ridícula, coisa que parecia difícil há apenas alguns anos.

    • Guilherme 15:55 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Ops, lembrei.

      Esses dias, meu pneu furou quando ia fazer uma visita ao MON (na hora em que já estava chegando). Resolvi carregar a bicicleta até o Bosque do Papa para ter mais sossego para consertar a câmara, já que era dia de parCÃO, e, quando já ia indo embora, de câmara consertada e tudo, um vigia do Bosque me avisou que eu não deveria mais repetir aquilo já que é proibida a entreda de bicicletas no parque, mesmo estando o ciclista desmontado.

      O sujeito foi até bacana, já que não me chateou enquanto eu consertava a minha bike, mas deixou bem claro que aquela era uma determinação da pessoa que administra aquele parque, ou os parques da cidade, sei lá…

      Talvez este comentário não seja o melhor lugar pra contar essa minha novela, mas queria deixar aqui a sugestão para que o encerramento de uma próxima bicicletada fosse no Bosque do Papa em vez de fazer no vão do MON.

      Seria bem bacana ocupar o parque com umas 40, 50 bikes mesmo com o povo desmontado.

      abraço

    • marcelo 18:07 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      pelo codigo de transito ciclista desmontado = pedestre certo? pedestre é proibido de entrar no bosque no papa?

    • Leniza 21:30 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      adorei isso guna

      “Cadê a multa para as pinturas verde e amarelas em ruas, calçadas e poste, que se repetem a cada 4 anos, no pão-e-circo da Copa do Mundo?”

      e achei a idéia do bosque do papa bm simpática, podemos terminar com um piquenique veggie, com direito a roda de violão ou musica indiana.

    • Pinduca 23:48 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      P… Q… P…!!!

      Tá tudo errado…

      Vamos fazer uma bicilcetada antes do fim do ano, todo mundo de preto… de luto pela morte bom senso e da sanidade…

      E terminar no bosque com um PIQUENIQUE DE FINAL DE ANO!!

    • Pinduca 23:49 on 4 Dezembro, 2008 Permalink | Inicie a sessão para responder

      E quanto à multa… o negócio é recorrer… e se não rolar, dividimos em uma galera o valor da multa, afinal, é por um propósito em comum!!

      PositiveVibrations!!

    • marco 17:05 on 20 Maio, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      bom mesmo e como no rio onde chamam de ciclovia as vias alternativas mas tambem serve para bicicletas e os parques que servem para fazer cocos e outras coisas !

    • André Caon Lima 21:50 on 20 Maio, 2009 Permalink | Inicie a sessão para responder

      Ultimamente, os Curitibanos com um espírito de cidadania mais forte vêm tentando se manifestar e o que percebemos, tanto em nível de polícia municipal como estadual são atitudes que julgo tão ou mais truculentas que na época da ditadura. Naquela época a repressão pelo menos era declarada, hoje o que percebemos é a utilização de engenhosos dispositivos de repressão, sempre baseados em argumentos técnico-jurídicos avalizados por juristas e julgadores suspeitos. Em alguns casos, como o ocorrido com o MPL Curitiba, a violência é ainda maior e seguida de ameaças a direitos fundamentais do indivíduo. Inquéritos fajutos e juridiquês barato estão ganhando cada vez mais espaço não só em Curitiba, mas no país.
      Enfim, estamos totalmente solidários ao movimento bicicletada e manifestamos nosso apoio a sua tentativa de preservar o direito de ir e vir dos menos favorecidos (algo que aliás é obrigação do poder público), através da pintura da ciclo faixa.

c
Compose new post
j
Next post/Next comment
k
Previous post/Previous comment
r
Responder
e
Editar
o
Show/Hide comments
t
Go to top
l
Go to login
h
Show/Hide help
shift + esc
Cancelar
%d bloggers like this: