Quem assina a retirada das calçadas verdes.

De fato, o Projeto Calçadas Verdes era um projeto experimental. No entanto, dizer que uma análise feita pela atual gestão “teria percebido a ineficácia da medida e, ao invés de proteger, colocava o pedestre em risco”, gostaria de saber: De onde é a fonte da pesquisa na qual se baseia tal análise?
Acontece que muita coisa têm sido dita sem estar baseada em pesquisa ou em dados efetivos. Por exemplo, foi feita contagem de volume de pedestres cruzando áreas como estas, como na esquina da Praça Tiradentes com a Rua Cândido Lopes? Depois de ter sido feita tal contagem de pedestres, foi realizada entrevista com um percentual de pedestres para saber a opinião deles quanto à sensação de segurança ofertada pelas calçadas verdes? Ou ainda, foi feito levantamento sobre o número de atropelamentos de pedestres na área das calçadas verdes? Foram feitas comparações dos dados de atropelamentos no interior da Área Calma entre áreas com e sem Calçadas Verdes?
A cultura do “achismo” na atual administração tem me preocupado muito. Tal procedimento foge a qualquer regra da boa Engenharia e da Metodologia de Pesquisa, a quem devem estar escudadas todas as atitudes realizadas pela administração pública. Afinal, temos duas universidades em nossa cidade, sendo uma delas Federal, que bem poderia ajudar numa avaliação mais “eficaz”, para usar palavra utilizada na matéria, quanto à validade do uso das Calçadas Verdes.
Devemos deixar que as práticas (e análises) de ouvido, sirvam apenas a quem faz uso de um instrumento musical, não à administração pública municipal. Em verdade, esta parece ser mais o atendimento de uma solicitação dos motoristas do que dos pedestres.

Anúncios