POR UMA CIDADE CALMA (ALÉM DO SLOGAN)
“Binários” não são solução (sic) de nada.
Entregue um espaço urbano aos carros e dificilmente ele será devolvido aos pedestres. Ficará para os carros.
Degrade o espaço onde pedestres e famílias transitam e passeiam com carros e velocidade e as ruas e calçadas ficarão cada vez mais vazias, violentas e perigosas.
Permita que a velocidade de carros aumente – e mais mortes de pedestres e ciclistas ocorrerão, com ou sem marketing institucional de cidade calma.
Isso vale para todos os bairros de Curitiba. Da Rua Nicola Pellanda na Comunidade Antiga do Ganchinho e Umbará (onde ocorrem constantes atropelamentos) à Rua Teffé (que de um pólo calçadista a céu aberto, virou mero local de passagem). Passando pela nova Rua Francisco Rocha, um proto-binário para shopping travestido de “medida compensatória”.
Asfalto, arrogância e falta de visão. Esta é a receita indigesta de IPPUC, o Bárbaro. Sim, ele, o grande “chef” que prepara o “bolo pronto” de uma Curitiba que anda a reboque dos grandes shoppings e empreendimentos, que parece subjugada por construtoras e especuladores, que privilegia a “ação entre amigos”, ao invés do bom planejamento urbano (cuja memória os curitibanos ainda querem honrar).
A Salvemos o Bosque da Casa Gomm APÓIA a causa Longa Vida ao Arquipélago de Camões (CURTA LÁ!), que quer salvar 4 pracinhas do bairro Hugo Lange de um binário que pode ser tudo, menos para o ônibus Inter 2 (como o IPPUC alardeia). Mas este binário para CARROS não passará!
E também exigimos apuração imediata – no mesmo contexto do uso de verbas federais do PAC 2 da Mobilidade para suposto projeto de mobilidade coletiva – quanto ao binário que o IPPUC quer passar DO LADO do Bosque do Capão da Imbuia (Rua Prof. Nivaldo Braga), onde mora a árvore mais antiga de Curitiba, uma imbuia possivelmente MILENAR.
São dois binários alardeados como sendo pensados para transporte coletivo e melhorias na linha Inter 2. Mas o “curioso” é que um deles passa ao lado de onde – segundo rumores locais do Hugo Lange – uma rede de supermercados está adquirindo terrenos. E o outro conduz diretamente ao futuro maior shopping center da cidade, em construção no terreno do Jockey Club. Os curitibanos já viram esse filme, não é?
Afinal, para quem o IPPUC planeja a cidade?

Fonte: https://www.facebook.com/SalvemosOBosqueDaCasaGomm/photos/a.398540500267020.1073741826.398533546934382/790290114425388/?type=1&theater

Advertisements