Sem Mais Ilusões!!

Esta notícia saiu na Gazeta de Hoje. Acho que merece um repúdio geral por parte de todos nós. Fica explítica a orientação automobilística do prefeito. Enquanto isso a bicicleta e os pedestres continuam ausentes do planejamento urbano. A matéria, que ainda considera corrida de carros como ‘esporte’ mostra o que é a rua para nossos planejadores urbanos.

Shame on you, Beto Richa!!

http://www.gazetadopovo.com.br/esportes/conteudo.phtml?tl=1&id=972753&tit=Curitiba-estuda-levar-sua-etapa-para-a-rua

Curitiba estuda levar sua etapa para a rua

Ideia seria fazer um circuito passando pela Avenida Cândido de Abreu e o Centro Cívico

Publicado em 11/02/2010 | Thiago de Araújo

O curitibano fã de velocidade po­­de ter de refazer o seu trajeto quando for acompanhar o Cam­pe­onato Mundial de Carros de Turismo (WTCC) a partir de 2011. Isso porque a categoria estuda trocar o tradicional Autódromo Internacional de Curitiba (AIC), em Pinhais, pelas ruas do Centro Cívico. A alteração, se concretizada, atenderá a um apelo cada vez maior por provas mais emocionantes e imprevisíveis, algo que os circuitos de rua bem concebidos podem dar.

“Quando garoto, me acostumei a acompanhar provas de automobilismo na Cândido de Abreu, com carreteiras e Vemaguetes. Faz quanto tempo que Curitiba não realiza uma prova de rua?”, co­­menta Augusto Farfus, organizador do WTCC em Curitiba e pai do piloto da BMW, Augusto Farfus Júnior.

Segundo ele, a mudança ainda está sendo estudada, mas é uma vontade de todos os envolvidos. O ponto de partida da ideia é justamente a Avenida Cândido de A­­breu, apta a receber a reta e uma considerável área para logística, bo­­xes e arquibancadas nas suas ruas laterais. Todavia, mensurar por quais ruas do bairro a prova pas­­saria, pelo projeto ainda estar em um estágio embrionário, ainda é prematuro (

“É uma ideia antiga. Não sou in­­tegralmente o pai dela, mas sim o prefeito Beto Richa, que sempre quis fazer um evento como esse na rua. A nossa vontade surgiu muito antes desta iniciativa da Fórmula Indy em São Paulo, já chegou a ser conversado com o Marcelo Lotti (di­­retor-geral da categoria) no ano passado. Se acontecer, será um grande evento, mais próximo ao público e diferente. A abertura dará mais emoção”, analisa Farfus.

Atualmente, o único circuito de rua do WTCC é na etapa final, em Macau. “Lá acontece uma das provas mais legais do ano. É possível você identificar o verdadeiro piloto, é como você levar todos de volta ao kart”, completou Farfus Júnior.

O piloto curitibano da BMW também gosta da ideia, po­­­rém ela ainda deverá ser levada à mesa de negociação logo após a etapa deste ano, no dia 7 de março.

O contrato da prefeitura de Cu­­ri­­tiba com a organização do WTCC termina oficialmente neste ano, mas os contatos para a extensão do vínculo com a prova já estão em andamento. Como 2010 é um ano de transição, em virtude das mu­­danças de regulamento para 2011 (como a padronização dos motores 1.6 turbo a etanol, para o WTCC e WRC, o Mundial de Rali) e a provável entrada de novas montadoras (como a Ford) e retorno das que saíram (Seat e Honda), a prova de rua, em Curitiba, tem boas chances de sair do papel.

“É um outro processo de negociação. A categoria vem chamando a atenção de outras cidades brasileiras, mas iremos trabalhar para que o WTCC siga em Curitiba, com essa novidade boa”, finalizou o or­­ganizador.

Mãos à obra

A partir do mapa da região do Centro Cívico, crie o seu traçado para o circuito de rua de Curitiba e envie para a Gazeta do Povo. As ideias mais interessantes serão publicadas nesta sexta-feira no site.

Anúncios