Classe Média motorizada e muito bem ´educada´!

Um feriadão a cada dia

Só uma universidade coloca nas ruas a mesma quantidade de carros que descem para a praia em fins de semana prolongados

Publicado em 28/04/2009 | Themys Cabral e Pollianna Milan

acidentes_mafalda

 

Em uma hora, um pico com um fluxo de carros dez vezes maior do que o de um shopping em época de Natal. Multiplique isso por dois; 200 dias por ano. Para o caos falta pouco. Enquanto os grandes shoppings da cidade causam um fluxo médio de 300 carros por hora em época de compras no fim de ano, a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) gera no câmpus Prado Velho, em Curitiba, um movimento dez vezes maior, de 3 mil carros por hora, em dois horários de pico (pela manhã e à noite), todos os dias. O número de carros a cada hora, nestes momentos específicos, é semelhante ao fluxo registrado, por hora, na ida ou volta das praias, durante um feriadão.

Se forem somadas as outras universidades, o resultado não é animador: um levantamento informal feito pela reportagem mostra que pelo menos 23 mil veículos são colocados diariamente nas ruas pelos universitários, principalmente nos horários de pico: manhã, almoço e final do dia. O número, contudo, é ainda maior porque somente cinco universidades souberam informar quantos alunos usam o carro para se locomover todos os dias. A Universidade Federal do Paraná (UFPR) – que sozinha tem cerca de 42 mil estudantes – ainda não fez um levantamento sobre o assunto.

Faltam iniciativas nas instituições

Ainda são tímidas as iniciativas propostas pelas principais universidades de Curitiba para ajudar a melhorar o trânsito e, principalmente, diminuir a poluição. Das oito instituições de ensino superior consultadas, cinco apresentaram medidas simples para tentar conter a quantidade de veículos usada pelos estudantes. Duas instituições particulares, por exemplo, fazem apenas campanhas com o objetivo de aumentar a carona solidária entre os colegas de classe.

Sistema de ciclovias pode ser pedra no sapato

Uma das ideias para alavancar o plano de mobilidade da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) é o incentivo ao uso de bicicletas. A proposta, entretanto, pode esbarrar em um sério problema de mobilidade da cidade de Curitiba: as ciclovias existentes ligam parques, mas não servem, normalmente, ao trânsito diário casa-trabalho ou casa-faculdade.

Ações

O plano da PUCPR comtempla as seguintes medidas:

Bicicleta

  • Aumento do número de vagas do bicicletário de 86 para 110, sendo 28 delas em um sistema de bicicletário fechado.

Ônibus

  • Câmaras nos pontos de ônibus próximos à universidade.
  • Abertura de um portão mais próximo aos pontos de ônibus e aos principais blocos de aulas.

Pedestres

  • Manutenção das calçadas.

Carros

  • Sanções para uso indevido da área de estacionamento.
  • Implantação do sistema de carona inteligente.

Metas

  • uso de carro – de 51% para 41%
  • uso de ônibus – de 46% para 52%
  • bicicleta – de 1% para 5%
  • Reduzir a emissão na atmosfera de 246 toneladas de monóxido de carbono e 6 mil tonelada de dióxido de carbono, num período de 10 anos.