Manutenção de ciclovias

Nas últimas semanas tem se observado algumas reformas tímidas em trechos das ciclovias em Curitiba:

  • Trechos irregulares e/ou destruídos por raízes de árvores estão recebendo uma camada nova
  • Alguns desníveis e guias com “degraus” estão ficando um pouco mais nivelados

Ciclovia recapeada. Repare o caminho alternativo para evitar as antigas rachaduras.

Já não era sem tempo de começarem a olhar para as vias para ciclistas. Medidas como essa precisam ser mais abrangentes para tornar mais fluido o tráfego de bicicletas. Isso vai trazer uma consequência inevitável o aumento da velocidade nas ciclovias. O que nos remete a algumas outras questões:

Ciclovias compartilhadas
É preciso mais espaço para abrigar o fluxo de pedestres e ciclistas. As calçadas são muitas vezes impraticáveis tornando a ciclovia o único espaço para circulação de não-motorizados.

Preferência nos cruzamentos
O tratamento das intersecções é praticamente nulo. Sem sinalização, pedestres e ciclistas têm que se arriscar entre um sinal e outro para conseguir atravessar avenidas como a Visconde de Guarapuava e a Marechal Deodoro.

A mesma ciclovia, alguns metros adiante, segue precisando de reformas. Novamente a presença do caminho alternativo.

É preciso criar condições seguras não apenas com semáforos específicos que geralmente tem um tempo extremamente reduzido para quem não está de carro. Mas criando rotas mais diretas para não-motorizados e restrigindo/reduzindo o acesso/velocidade de carros e motos.


Tomara que essas pequenas melhorias observadas sejam apenas o prenúncio de um verdadeiro avanço na mobilidade sustentável em Curitiba.

Você conhece mais alguma melhoria? O que você considera mais prioritário daqui pra frente?

Anúncios