Jardins e Conhecimento

No domingo, 14/9, aconteceu a ação caminhada dos Jardins Transportáveis, conduzida pela artista plastica Leila Pugnaloni, com criações conjuntas da coreógrafa Rocine Infante. A ação caminhada é inspirada no guataporã guarani, uma caminhada indígena, de tempo variável. Apenas três sons são permitidos na caminhada: ah ah, ah uh, e uh uh. Cada pessoa é responsável por conduzir em segurança a que lhe segue, e a última pela proteção da que está à frente. (Perdoem alguma eventual falha de compreensão e explanação da minha parte!). É uma ação de apropriação coletiva do espaço público mediante uma intervenção estética. Nem mesmo a ansiedade de algum motorista estressado, que arranca cantando pneus para assustar as pessoas desarmadas e contrasta violentamente com todos os outros que simplesmente param para saber de que trata o evento, é capaz de macular o acontecimento.

Ação-caminhada dos Jardins Transportáveis inspirada na Guataporã Guarani

Ação-caminhada dos Jardins Transportáveis de Leila Pugnaloni, inspirada na Guataporã Guarani

Foto de Ana Barrios, roubada no blog do Solda

Foto de Ana Barrios, roubada no blog do Solda

Foto de Ana Barrios, roubada no blog do Solda

Foto de Ana Barrios, roubada no blog do Solda

Na segunda-feira, dentro do ciclo de palestras do mês da Arte Bicicleta Mobilidadede, tivemos as interessantes apresentações de Cláudio M. A. Franco e de José C. Belotto, abrilhantadas pelas intervenções de Antônio Miranda na audiência. Cláudio mostrou uma prévia da monografia elaborada a respeito do uso da bicicleta por alunos da UFPR, com pesquisa realizada segundo amostra de estudantes usuários ou não-usuários da bicicleta e a investigação de razões conceituais envolvidas no problema. É uma iniciativa pioneira e valiosa, ante a carência de estudos acadêmicos de que padecemos.

A apresentação de Belotto foi sobre o II Desafio Intermodal e seus resultados. Ele trouxe uma novidade: uma planilha eletrônica capaz de calcular alguns dados de economia poluidora e financeira alcançados pelo usuário da bicicleta. Com uma distância de 5 km entre a casa e o trabalho, 5 dias por semana o ciclista (eu!) gasta mais de 10.000 cal por mês, deixa de emitir um monte de agentes poluentes (confesso que não anotei os números!), economiza por volta de R$ 600,00 por mês de gasolina e mais de R$ 800,00 de ônibus. Esperemos o aperfeiçoamento da planilha para ver se conseguimos divulgar, até como forma de atender pessoas mais ligadas nesses aspectos quantitativos.

Cláudio Franco e José C. Belotto

Cláudio Franco e José C. Belotto

Tivemos bons debates sobre segregação de vias para bicicletas (ou não) e a respeito de acessórios de segurança, bem como de alguns aperfeiçoamentos para a realização periódica dos desafios modais. Eles nos deixaram ansiosos pela palestra do Antônio Miranda, que será na 2ª feira, dia 29/9. Assim foram o nosso domingo e segunda, com jardins transportáveis e conhecimentos compartilháveis.
Goura e Miranda nos debates

Goura e Miranda nos debates

Hoje, 16/9, 19 horas, abertura da exposição fotográfica Menos gasolina, mais adrenalina, no Café Zau, Augusto Stresser com Barão de Guaraúna! Amanhã, excursão ao Cachimba às 9 horas, 5ª feira Performance TAMO às 18 horas, sábado Roda Gigante e Ciclo Dia, e domingo a Pedalada do Yoga e da não-violência. Ufa!
Anúncios