Carta Aberta à Prefeitura de Curitiba – DIA MUNDIAL SEM CARRO

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 Curitiba, 21 de julho de 2008

 Prezado Prefeito Beto Richa,

           Por meio desta carta a BICICLETADA de Curitiba, movimento livre, sem líderes e que tem como objetivo a conscientização sobre o uso da bicicleta como meio de transporte, vem até o senhor lembrar que temos ainda 2 meses até a data do DIA MUNDIAL SEM CARRO, que ocorrerá em muitas cidades do mundo no dia 22 de setembro.

Queremos que o poder público tome atitudes para a realização efetiva desta data. Que haja um profundo debate na sociedade sobre o uso do carro, que questionemos a ausência de um plano proativo que insira a bicicleta no cotidiano dos cidadãos curitibanos. Mais do que isso, exigimos que a municipalidade tome iniciativas práticas, pois diariamente milhares de ciclistas estão expondo suas vidas, com risco de morte, por falta de espaços preferenciais para o uso das bicicletas. Precisamos diminuir a quantidade absurda, imoral e indecente, de carros que transitam pela cidade, provocando acidentes, matando e mutilando inocentes, poluindo o ar que respiramos, destruindo o silêncio e ocupando o espaço público. Lembramos que o carro é um bem individual que ocupa o espaço de todos. Por que temos que dar prioridade a ele no planejamento urbanístico da cidade? O carro precisa de restrições. A data do DIA MUNDIAL SEM CARRO é um símbolo para mostrarmos que é possível uma cidade diferente, um urbanismo diferente.

A prefeitura de Curitiba pode se espelhar em inúmeras cidades que estão levando a bicicleta a sério e fazer desta data uma celebração deste novo paradigma, que deve ser estabelecido o quanto antes, pois o velho paradigma, o cenário que ainda presenciamos e vivemos, está com os dias contados.  Lembramos ainda, ao senhor, que o programa BICICLETA BRASIL do Ministério das Cidades já existe há alguns anos, que existe verba disponível para projetos que estimulem o uso das bicicletas.

O que a prefeitura deve fazer:

·        Estabelecer permanentemente a data do 22 de setembro no calendário oficial como o DIA MUNDIAL SEM CARRO

·        Fazer uma revitalização de toda a malha cicloviária, com novas sinalizações, e, o que é muito importante, instalar sinaleiros preferenciais para os ciclistas nas áreas de cruzamento com os carros e suavizar as transições que existem entre ciclovias e ruas.

·        Fechar várias ruas do centro para o trânsito de automóveis individuais, propor que as pessoas realmente deixem o carro em casa, pelo menos neste dia

·        Para que isto aconteça fazer com que o uso do transporte coletivo seja gratuito a todos no dia 22 de setembro

·        Criar uma campanha educativa para desestimular o uso do carro e educar os motoristas a respeitarem a bicicleta; espalhar faixas com dizeres sobre o uso da bicicleta, distribuir folhetos sobre o assunto

·        Criar ciclofaixas no centro da cidade, para estimular o uso da bike. Hoje em dia as pessoas hesitam em adotar este meio de transporte por causa da insegurança, pelo medo de transitar em ruas apilhadas de carros, conduzidos por motoristas que não sabem que o lugar da bicicleta é na rua, não na calçada, conforme o próprio Código de Trânsito Brasileiro

·        Criar parcerias com entidades e movimentos pro-bike, tais como a própria Bicicletada, a ONG Ciclovida, Mobilciclo, Universidades, federações de ciclismo, etc.

Enfim, estamos dispostos a trabalhar em conjunto com a prefeitura para efetivar esta data. Curitiba possui excelentes técnicos em mobilidade não motorizada que já nos garantiram que podemos mudar o cenário atual. Basta boa vontade. O custo de inserir a bicicleta é irrisório perto das quantias exorbitantes que o planejamento automobilístico exige.

Contamos com seu bom senso e empatia nesta importante questão. Uma capital verdadeiramente ecológica é aquela que prioriza meios de transporte ambientalmente corretos, que favorecem o diálogo e o contato com a cidade.

E para lembrar as promessas feitas em nossa audiência com o senhor no ano passado:

Os bicicletários e paraciclos nos espaços da Fundação Cultural ainda estão ausentes.

 

Aguardamos uma resposta positiva e criativa.

Atenciosamente,

 

 

Jorge Brand,

membro da Bicicletada de Curitiba

http://www.raios-x.com/bicicletadacuritiba

Anúncios