Desenvolvimento de cidades e mobilidade

Eu pretendia fazer uma nova entrada sobre o apossamento de ruas pelos moradores, de acordo com o documento constante da página da Bicicletada Curitiba, cuja ligação se encontra aí ao lado.

Mas fiquei curioso com a ocorrência de uma Conferência Mundial sobre o Desenvolvimento de Cidades, de 13 a 16 de fevereiro de 2008, em Porto Alegre (RS).  

O Evento tem quatro grandes temas centrais: 1) Direito à Cidade (Políticas Locais sobre Direitos e Responsabilidades dos Cidadãos); 2) Governança e Democracia em Cidades (Experiências Inovadoras de Gestão e Participação Democrática); 3) Desenvolvimento Local em Cidades; e 4) Sustentabilidade e Cidade-Rede. 

Aproveitando o intervalo de almoço no trabalho, baixei uma cópia do programa completo.  Uau, são 76 páginas de programação.  Na pressa, apenas aproveitando os recursos do programa leitor de arquivos em linguagem de impressão (pdf), fiz uma busca de palavras que me parecem ser essenciais à consideração em qualquer cidade média e grande. Cheguei ao seguintes resultados:

Mobilidade: 2 ocorrências (p. 52 e 63);

Transporte: 2 ocorrências (p. 16 e 53);

Bicicleta: 0 (zero) ocorrências;

Carro: 0 (zero) ocorrências;

Automóvel: 0 (zero) ocorrências.

É claro que essa ligeira pesquisa sobre o que pensam os planejadores e gestores das cidades – pelo menos esse é o público-alvo do evento – não pode ser definitiva, mas também não deixa de ser um bom indicador da proporção em que eles se preocupam com a mobilidade urbana, com o entupimento das veias e artérias das cidades pelos carros, com o seu crescimento cancerígeno, com soluções “inovadoras” como o uso da bicicleta, com o apossamento das ruas pelos moradores, com as estratégias de redução de velocidade e desaceleração geral. É, espero estar redondamente enganado nessa avaliação bem superficial que fiz, e que esses temas estejam, de certa forma, espalhados pelos vários trabalhos que serão apresentados. Se alguém localizá-los, por favor, me chame a atenção.

Peters

Anúncios